quinta-feira, 31 de julho de 2008

Inscrições abertas para Garagem Digital

(clique na imagem para ampliar)
Programa Garagem Digital
O Programa Garagem Digital, criado em setembro de 2001, tem como objetivo promover a inclusão digital de forma a contribuir com o processo educacional de jovens e com o desenvolvimento de suas comunidades. Consiste de um laboratório de experimentação de metodologias de inclusão digital que visa à democratização do acesso e o uso otimizado das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs).
Graças a um currículo que ultrapassa os ensinamentos técnicos, o programa se propõe a expandir o horizonte dos beneficiários no que diz respeito a sua participação ativa e capaz na sociedade, a partir do desenvolvimento de suas identidades, autonomia, capacidade de produção, criação e interação social.
Equipada com computadores, impressoras, softwares, câmera digital e de vídeo e conexão à Internet banda larga, a Garagem Digital procura estimular a conscientização dos jovens com relação ao uso das TICs como meio e potencial ferramenta ao exercício de sua cidadania.
O Garagem Digital entende que a causa da inclusão digital envolve agilidade, pois precisa acompanhar e incorporar as mudanças que vêm ocorrendo atualmente no campo tecnológico e, assim, contribuir com a diminuição do vácuo da exclusão digital no Brasil. Cada participante do programa contribui com suas especialidades. Como parceira estratégica, a HP Brasil fornece tecnologia e apoio financeiro. A Fundação Abrinq - também parceira estratégica - avalia, monitora, coordena, colabora com a metodologia e aplicação pedagógica e sistematiza a experiência para posterior disseminação.
Como parceiros técnicos, o Instituto Centec e o CPA (Centro de Profissionalização de Adolescentes) oferecem as instalações, o conhecimento sobre processos de capacitação profissional de jovens, a implementação do projeto, a articulação com a comunidade local e do entorno e o apoio à disseminação do programa.
Além disso, uma Rede de Oportunidades organizada pelo Programa Garagem Digital insere os jovens ex-participantes do módulo de formação em um banco de dados e articula empresas, outras entidades em geral a oferecerem oportunidades diversas de emprego, estudo e apoio ao empreendedorismo.
Colaboração: Odenir Fernandes

Dick e Rick... Muito mais do que pai e filho

Dick Hoyt... Um pai que nunca desistiu de lutar pela felicidade do filho com paralisia, dá um exemplo de superação.
Os dois participam de eventos esportivos e mostram que o esporte tem o poder de libertar. Demora um pouco para carregar, mas vale a pena. Não tem como não se emocionar...

CENTEC divulga a relação dos classificados do exame de seleção 2008.2

O Instituto Centro de Ensino Tecnológico - CENTEC, divulga as relações dos candidatos classificados no Exame de Seleção 2008.2 para os cursos de educação profissionais técnica de nível médio, realizado nos CVTEC de Limoeiro do Norte.
As matrículas dos classificados serão realizadas nos dias 04, 05 e 06 de agosto, e a dos classificáveis, no dia 08 de agosto.
A chamada dos classificáveis será iniciada, impreterivelmente, às 9:00 horas, sendo o candidato desclassificado se não estiver presente na hora da chamada. (Clique no link abaixo e confira a relação dos classificados)

terça-feira, 29 de julho de 2008

Sanfoneiro “Barrão” é o vencedor do festival

Ficou com o acordeonista Carlos Pereira Nogueira, mais conhecido por “Barrão”, o primeiro lugar no VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte, ocorrido no último fim de semana.
O sanfoneiro “Barrão” (foto), de Fortaleza, teve a melhor nota do júri, que ainda deu segundo lugar para Antônio Ocivan Moura, o “Vanim do Acordeom”, de Maranguape. Em terceiro lugar ficou João Bandeira Júnior, de Limoeiro do Norte. A quarta colocação premiada é de Giulian Monte, de Currais Novos, no Rio Grande do Norte.
O atual vencedor, sanfoneiro “Barrão”, tem pouco tempo que lançou CD na praça. Disse que decidiu se inscrever na última hora, por sugestão da namorada. Com o prêmio de R$ 10 mil, pretende investir na profissão.
Conforme o diretor do Festival, César Costa, a paixão pela sanfona voltou à evidência. “O evento só tem a crescer”, destaca.
Fonte: Diário do Nordeste
Foto: Melquíades Júnior


segunda-feira, 28 de julho de 2008

CENTEC divulga gabarito dos Cursos Técnicos

Instituto CENTEC divulga gabarito do exame de seleção para os Cursos Técnicos 2008.2

Tapetão pode salvar o Limoeiro Futebol Clube

O nosso blog teve acesso à ATA de uma Reunião do Conselho Arbitral da Segunda Divisão do Campeonato Cearense de 2008, cujo teor tratava de algumas irregularidades, as quais poderiam beneficiar Limoeiro Futebol Clube.
As irregularidades referem-se ao não cumprimento, por parte de alguns clubes, do Art. 27 e seus parágrafos que diz que pagamento da taxa de arbitragem, passagem de diária de arbitragem, passagem e diária de representante da FCF, deverão ser depositados em espécie (dinheiro), na conta da FCF, antes da realização da partida, contrariando o regulamento aprovado e assinado por todos os clubes que disputam a Segunda Divisão do Cearense 2008.
A referida ATA está assinada por todos os presidentes dos clubes que disputam o campeonato, validando a votação de 08x02, acatando a proposta do Limoeiro, de que os clubes que apresentassem os comprovantes dos depósitos bancários na conta da Federação, antes do jogo de acordo com a Tabela da CEAF em sua totalidade, anexo ao regulamento estariam regulares.
Vejam a Ata da Reunião:
Os interessados em ler o conteúdo da ata, solicitem pelo e-mail:

Parceria pode ser a solução

Com o fim da segundona do cearense, o Limoeiro Futebol Clube mostra, nos números da sua campanha, a falta de competência e de compromisso por parte dos dirigentes e administradores, ou sei lá de quem...
Uma campanha vergonhosa que deve servir de lição para se repensar os projetos futuros do time do Limoeiro. Precisa-se de um projeto mais elaborado, mesmo que seja em longo prazo.
Mas esse não é um caso isolado no futebol brasileiro...
Vendo a situação que se encontra o Limoeiro Futebol Clube, fui pesquisar sobre a situação de alguns clubes Brasil a fora.
Para pequenas cidades manterem bons times, os mesmos não podem depender somente da prefeitura.
Mas como achar, na iniciativa privada, um apoio maior? E como fazer uma parceria abrangendo outros setores do município?
Encontrei no Blog História do Futebol (blog.soccerlogos.com.br), uma postagem de Antônio Mário, em 02 de julho de 2008, que mostra sugestões para pequenos clubes.
Sugestões essas que, adaptadas a realidade do nosso município, poderiam ajudar a solucionar o problema de nossos clubes.
Basta boa vontade e união de todos.
Vejam a postagem e compare:
A fórmula
“O dinheiro público das prefeituras não pode ser utilizado para patrocinar o futebol profissional, mas quando este mesmo dinheiro público é para promover as categorias de base proporcionando esporte e lazer para os adolescentes e estimulo para uma profissão futura, pode e deve. Todas as prefeituras podem fazer parceiras com os clubes e associações para tal fim.
Prefeituras mais ricas como Barueri, São Caetano do Sul, Santo André, Ipatinga e Macaé, vêm se destacando. O que se deve avaliar é se estes clubes estão investindo os recursos públicos das prefeituras nas categorias de base. Mas são prefeituras ricas que podem ter projetos grandes.
Existem prefeituras que tem uma boa sustentabilidade financeira e podem manter projetos com o futebol de base e esportes amadores como Basquete, Handebol, Futsal, Vôlei, Natação, Xadrez, Dama entre outros. A grande maioria dos esportes amadores são mantidos em parceria com prefeituras, unidas a patrocinadores de grandes empresas e uma universidade para doar bolsa de estudo para os atletas. Veja o time do Bradesco-Finasa de Osasco e tantas outras equipes de ponta do Vôlei, Basquete, Handebol ou Futsal. Os Jogos Abertos do Interior são uma grande motivação para as prefeituras investirem em suas equipes.
No nosso caso, em Botucatu, segue esta fórmula: Clube, Prefeitura, Faculdade e Empresa Patrocinadora. Embora tenha que reconhecer que em nossas equipes tem poucas empresas patrocinando e dificulta ter equipes de ponta. Só temos uma equipe de ponta no futebol feminino, mesmo sem uma empresa patrocinadora, porque há poucas empresas no esporte e os custos são relativamente pequenos. Temos algumas exceções no futebol feminino como a Motorola em Jaguariuna e o Extra em Araraquara.
No caso em questão dos clubes tradicionais cariocas, a fórmula tem que ser a mesma:
Clube + Prefeitura + Faculdade + Empresa = Boa equipe
Bom, faculdade têm muitas no Rio, inclusive no subúrbio carioca. Empresas também, mas não tem os “Jogos da Capital” e portanto não tem como a prefeitura “aparecer”. Não há mais as rivalidades de bairros como ainda existe entre as cidades. A rivalidade sadia estimula a competição e o aprimoramento esportivo.
Assim concluo que os presidentes de clubes tradicionais do subúrbio carioca devem parar o “choro” e trabalhar, fazendo:
1. Apresentar a prefeitura do Rio projeto das categorias de base para firmar convênio. Um bom prefeito terá interesse em que sua população pratique esporte e lazer, e estimule uma carreira profissional.
2. Buscar parceria com uma universidade ou faculdade para ter bolsas de estudo para seus atletas. As faculdades particulares têm interesse da sua publicidade no bairro buscando a simpatia da população e custará muito pouco, pois oferecer 10 a 20 vagas não trará nenhum gasto a mais para a faculdade. É uma troca de benefícios.
3. Buscar patrocinador para o futebol profissional, quanto melhor a empresa patrocinadora melhor será o time. Isto também acontece nas melhores equipes, vide Parmalat, ou a Sansung, ou a Xerox, ou mesmo a Petrobrás, quanto melhor o patrocinador melhor será o time.
Fórmula simples, mas que requer trabalho. O melhor trabalho levará as vitórias e as melhores divisões.
Sou torcedor do América do Rio (eu sou um “daqueles” que tem um clube em cada estado para torcer) e me pergunto: Como um clube com tanta boa história pode estar nesta situação? A culpa, sem dúvida, é que seus dirigentes não são bons. O América do Rio poderia se espelhar na Portuguesa de Desportos de São Paulo. Com altos e baixos, mas hoje esta na primeira divisão brasileira com uma boa equipe. Se a Portuguesa pode, por que o América não?
Outra, porque a Universidade Estácio de Sá precisa ter um time se ela poderia ser parceira de algum clube do subúrbio carioca? Falta trabalho de união. O clube tem estádio e torcida a Universidade recursos, então porque estão separados?
Só para terminar, até recentemente o Juventus de São Paulo estava na primeira divisão Paulista. Quem estruturou o Juventus foi o Brunoro com sua empresa de marketing esportivo. Bastou o Juventus chegar à primeira divisão e sua diretoria, por “vaidade”, romper com o Brunoro. Deu no que deu, o Juventus caiu de novo.
Moral da história, muitos dirigentes estão nos clubes por vaidade ou interesse próprio e não pela coletividade, portanto fica difícil um trabalho profissional em uma fórmula relativamente simples.”
Deixem seus comentários com opiniões e sugestões que se enquadrem um pouco mais a nossa realidade.

70 anos da morte de Lampião

Um dos brasileiros mais biografados de todos os tempos, o rei do cangaço passa de bandido a herói depois de 70 anos de sua morte.

Herói, Bandido, Justiceiro, Mito... Talvez todas essas características juntas seria a melhor forma de definir Lampião.

Em 28 de Julho de 1938 chegava ao fim à trajetória do líder cangaceiro mais polêmico e influente da história do cangaço. A tentativa de explicar a morte de Lampião levanta controvérsias e alimenta a imaginação, dando origem a várias hipóteses acerca do fim de seu "reinado" nos sertões nordestinos. Existe a versão oficial que sustenta a chacina de Angicos pelas forças volantes de Alagoas e existe também a versão do envenenamento de grande parte do grupo que se encontrava acampado em Angicos.
A versão oficial explica que Lampião e a maior parte de seus grupos se encontravam acampados em Sergipe, na fazenda Angicos, no município de Poço Redondo, quando foram surpreendidos por volta das 05:30 da manhã. As forças volantes de Alagoas agiram guiadas pelo coiteiro Pedro de Cândido e os cangaceiros não tiveram tempo de esboçar qualquer reação. (Lampião é o primeiro a ser morto na emboscada).
Ao todo foram 11 cangaceiros mortos, entre eles Lampião e Maria Bonita. Em seguida, depois da decapitação, deu-se a verdadeira caça ao tesouro dos cangaceiros, desde as jóias, dinheiro, perfumes importados e tudo mais que tinha valor foi alvo da rapinagem promovida pela polícia.
Depois de ter sido pressionado pelo ditador Getúlio Vargas, que sofria sérios ataques dos adversários por permitir a existência de Lampião, o interventor de Alagoas, Osman Loureiro, adotou providências para acabar com o cangaço. Ele prometeu promover ao posto imediato da hierarquia o militar que trouxesse a cabeça de um cangaceiro. (Vejam um cartaz de 1930 em que o governo da Bahia oferece recompensa pela captura de Lampião).
Ao regressarem à cidade de Piranhas as autoridades alagoanas decidiram exibir na escadaria da Prefeitura, as cabeças dos 11 cangaceiros mortos em Angicos.
A macabra exposição ainda seguiu para Santana do Ipanema e depois para Maceió, aonde os políticos puderam tirar proveito o quanto quiseram do evento mórbido. Lampião, Maria Bonita, Luiz Pedro, Quinta-feira, Elétrico, Mergulhão, Enedina, Moeda, Alecrim, Colchete e Macela.
A morte de Lampião e o pseudo-fim do cangaço no Nordeste foram temas de muitas bravatas políticas.
Localização
O acampamento onde estava Lampião e seu grupo ficava na margem direita do rio São Francisco, no Estado de Sergipe, município de Poço Redondo. A gruta de Angicos está situada a 1 km da margem do Velho Chico e estrategicamente favoreceu ao possível ataque da polícia alagoana. O local do acampamento é um riacho temporário que na época estava seco e a grande quantidade de areia depositada formava um piso excelente para armar o acampamento. Mas, por ser uma grota, desfavorecia aos cangaceiros que estavam acampados embaixo.
De Virgulino a Lampião
Virgulino Ferreira da Silva nasceu no dia 07 de julho de 1897, no município de Serra Talhada, em Pernambuco, e se dedicou a várias atividades: vaqueiro, almocreve, poeta, músico, operário, coreógrafo, ator, estrategista militar e chegou a ser promovido ao posto de capitão das forças públicas do Brasil, na época do combate à Coluna Prestes, no governo de Getúlio Vargas.Sua infância foi como a de qualquer outro menino nascido no sertão nordestino. Pouco estudo e muito trabalho desde cedo. Ainda menino, Virgulino recebe de seu tio um livro da biografia de Napoleão Bonaparte o que vai permitir a introdução de várias novidades desde o formato do chapéu em meia lua, algo inexistente até a entrada de Lampião no cangaço, até a formação de grupos armados e passando por táticas de guerra.
O jovem Virgulino percorreu todo o Nordeste, do Moxotó ao Cariri, comercializando de tudo pelas cidades, povoados, vilas, sítios e fazendas da região - ele vendia bugigangas, tecidos, artigos em couro; trazia as mercadorias do litoral para abastecer o sertão. Na adolescência, por volta dos 19 anos, Virgulino trabalhou para Delmiro Gouveia transportando algodão e couro de bode para a fábrica da Pedra, hoje município homônimo do empresário que o fundou.
As estradas eram precárias e o automóvel algo raro para a realidade brasileira do início de século XX. O transporte utilizado por esses comerciantes para chegarem aos seus clientes era o lombo do burro. Foi daí que Virgulino passou a conhecer o Nordeste como poucos e esta fase de sua adolescência foi fundamental para a sua permanência, durante mais de vinte anos, no comando do cangaço.
Ingresso ao Cangaço
Lampião foi um dos filhos de José Ferreira dos Santos e quando adolescente, acompanhado por seus irmãos Levino e Antonio, envolveu-se em crimes por questões familiares.
José Ferreira era um homem tranquilo. Após várias tentativas que procuravam finalizar as rixas existentes entre seus familiares e rivais daqueles, acabou sendo morto pelo delegado de polícia Amarilio Batista e pelo Tenente José Lucena, quando o destacamento procurava por Virgulino, Levino e Antonio, seus filhos.
Com o objetivo de vingar a morte do pai, Lampião alistou-se na tropa do cangaceiro Sebastião Pereira, também conhecido como Sinhô Pereira.
Sinhô Pereira decidiu deixar o cangaço e passou o comando para Virgulino (Lampião).
Sede de vingança, cobiça e concentração do poder que por Sinhô Pereira lhe fora outorgado, levaram Lampião a se tornar um dos bandidos mais procurados e temidos de todos os tempos, no Brasil.
Durante as décadas de 1920 e 1930, Lampião e seu bando espalharam o terror pelo nordeste brasileiro.
Quando pretendia invadir uma cidade, Lampião enviava à autoridade vigente um pedido de certa quantia em dinheiro. Se a solicitação fosse negada, saqueava e devastava o local.
E o que mudou?
O cangaço foi um fenômeno social bastante importante para a história das populações exploradas dos sertões brasileiros. Existem registros que datam do século XIX e que nos mostram a existência deste fenômeno por mais ou menos dois séculos. O cangaço só se tornou possível graças ao desinteresse do poder público e os desmandos cometidos pelos coronéis e pela polícia com a subserviência do Estado.
O sertão nordestino sempre foi tratado de forma desigual em relação à região litorânea, e o fenômeno da seca sempre foi utilizado para manutenção dos privilégios da elite regional. O fenômeno social do cangaço não deixa de ser uma reação a este modelo desumano de ocupação do território brasileiro, e à altíssima concentração de renda e de influência política.
O governo brasileiro nunca ofereceu os direitos básicos, fundamentais aos sertanejos; o Estado jamais ofereceu educação, saúde, moradia, emprego o que tornou a sobrevivência no sertão complicada; o único braço estatal conhecido na região é a polícia, que, como sabemos, age na defesa do “status-quo”, é prepotente e intimida.
O poder dos coronéis do sertão era o que prevalecia em detrimento dos direitos fundamentais da população. A economia sertaneja era basicamente a criação de gado para o suprimento do país, a carne do sertão abastecia os engenhos de açúcar e as cidades do Brasil. O sertão historicamente foi ocupado com a pecuária.
Comparação com os dias atuais
Passado 70 anos a realidade do sertão nordestino não mudou muito. O cangaço se foi e no lugar surgiram pistoleiros de aluguéis que moram no asfalto. E os coronéis de antigamente hoje estão espalhados e infiltrados nos três poderes, gozando de foro privilegiado. A seca ainda vitima milhões de sertanejos, que continuam sendo tratados da mesma forma assistencialista do passado.
Finalmente, a corrupção continua a mesma.
Mudaram os personagens e a moeda, e, infelizmente, a impunidade ainda é a mesma de muito antes do cangaço.
Leia mais:

sábado, 26 de julho de 2008

Conversa de Sanfoneiro, com Adelson Viana

A oficina realizada ontem à tarde, 25/07, no auditório do Núcleo de Informação Tecnológica – NIT, teve a participação do público em geral e de alguns concorrentes do VII Festival de Sanfoneiros.
Adelson Viana é acordeonista, tecladista, compositor, arranjador e produtor musical. Iniciou na arte aos 12 anos de idade, tendo como primeiro instrumento o acordeon, e como mestre o seu pai José Viana. Passou um longo período tocando em bailes e posteriormente começou a trabalhar em estúdios de gravação, shows, jingles e trilhas sonoras. Como instrumentista o músico atua ao lado do renomado cantor cearense Raimundo Fagner, onde faz a direção musical, tendo se apresentado também ao lado de Zeca Baleiro, Dominguinhos, Lenine, Naná Vasconcelos, Paulo Moura, Fausto Nilo, Kátia Freitas, Manassés, dentre outros artistas.
O show de Adelson Viana tem um caráter acústico e passeia pela sonoridade brasileira através do choro, do xote, do baião e até mesmo do frevo, favorecendo a riqueza de timbres e de possibilidades da sanfona nordestina universal.
Conversa de Sanfoneiro
Adelson interagiu com os participantes em um bate-papo descontraído e bem humorado. Falou da origem do instrumento desde sua criação na China, até a Itália, onde sofreu modificações para ficar com a estrutura atual que conhecemos.
Ele executou algumas músicas, dentre elas, uma das duas músicas que ele gravou no DVD “Sanfona Brasileira”, produzido por Marcos Farias e Rodolfo Forte, intitulada de “A Freud Touch”, composição de um francês. Mostrou também uma composição própria, intitulada de "Disfarçado", entre outras.
Entre músicas brasileiras e estrangeiras, a tão conhecida “Asa Branca” se destacou, quando o garoto Vinícius, limoeirense de 7 anos, subiu ao palco e, junto com Adelson Viana, emocionaram o público presente com a melodia marcante da música do mestre Luiz Gonzaga.
Vinícius surpreendeu com seu talento e desenvoltura, com o instrumento e com as palavras.
Curioso como toda criança, perguntou a Adelson se seria verdade que o mesmo não gostava de tocar sanfona, quando começou aos 12 anos de idade. Como resposta Adelson confirmou, dizendo que só queria saber de jogar bola.
Um momento memorável que vale o registro, e o conhecimento de todos.
Foto: Alex Chaves Monteiro

quinta-feira, 24 de julho de 2008

61 candidatos disputam uma vaga na Câmara Municipal de Limoeiro do Norte

São 61 candidatos a vereador em Limoeiro do Norte, sendo 49 homens (80,32%) e 12 mulheres (19,68%).
Conforme o TSE, do total de 345.397 inscritos que disputam uma vaga nas Câmaras Municipais em todo o país, 270.405 (78,3%) são do sexo masculino, enquanto 74.992 (21,7%) são do sexo feminino.
Como a chamada “PEC dos vereadores”, que devolve o número de vereadores as câmaras, não foi votada no Senado, o município permanece com 10 vagas, sendo portanto a concorrência de 6,1 por vaga em Limoeiro do Norte.

Veja a lista completa:

01. ALBINO RODRIGUES DE OLIVEIRA - ALBINO DE BIXOPÁ (PRB)
02. ALCIDES CHAVES JÚNIOR – CIDÃO
(PR)
03. ANTONIO CICERO VIANA DE LIMA JUNIOR - CICERO JUNIOR
(PSDB)
04. ANTONIO CONRADO MAIA - ANTONIO CONRADO
(PP)
05. ANTÔNIO NEVILDO BESSA - NEVILDO BESSA
(PR)
06. BENEDITO MENDES CABRAL – BENÉ
(PR)
07. BERTO LUIZ FREITAS PEIXOTO - BERTO PEIXOTO
(PSB)
08. BRUNO RIBEIRO FILHO - BRUNINHO DA MALHADA
(PSDB)
09. CARLOS ALBERTO NOGUEIRA REGIS - RATINHO DAS MOTOS
(PV)
10. CARLOS ANTONIO SILVA FERREIRA - PROF. CARLINHOS
(PRB)
11. CARLOS MARCOS DE SOUSA NUNES – BARÃO
(PRB)
12. CARLOS MARDUQUE SILVA DUARTE - MARDUQUE DUARTE
(PSDB)
13. CLARICE SOARES DA SILVA - CLARICE
(PRTB)
14. EDUARDO CHAVES DE ALENCAR - EDUARDO CHAVES
(PHS)
15. EDVALDO OLIVEIRA DA SILVA – EDVALDO
(PSDB)
16. ELIAS CORREIA LIMA - ELIAS CORREIA
(PRB)
17. FLÁVIO ARAÚJO DE ALMEIDA – FLAVÃO
(PR)
18. FRANCISCA FRANCILENE CHAVES GONDIM – LENA
(PR)
19. FRANCISCO CÉSAR P. DA COSTA - CÉSAR DA CIDADE ALTA
(PMDB)
20. FRANCISCO DIÓGENES PEIXOTO – MIXICO
(PRB)
21. FRANCISCO GILMAR DE CASTRO - GILMAR CASTRO
(PMDB)
22. FRANCISCO HOLANDA CRAVEIRO - CHICO HOLANDA
(PDT)
23. FRANCISCO SOARES DA COSTA - ZÉ DE NEGA
(PRTB)
24. GENEZIANO DE SOUZA MARTINS - GENEZIANO
(PRB)
25. GENTIL GUIMARÃES SARAIVA JUNIOR - JÚNIOR SARAIVA
(PSDB)
26. HÉLIO HERBSTER OLIVEIRA BASTOS - PROF. HÉLIO (HELINHO)
(PT)
27. HERALDO DE HOLANDA GUIMARÃES - HERALDO HOLANDA (PR)
28. JOÃO RICARDO MENEZES CASTRO - JOÃO RICARDO (PSDB)
29. JOSE AQUINO DA SILVA - DEDÉ DA CIDADE ALTA (PSDB)
30. JOSÉ CLEUDO PEREIRA DA SILVA – CLEUDO (PSB)
31. JOSÉ GILTON NUNES ALVES – GILTON (PR)
32. JOSÉ GILVAN DE MOURA - GILVAN MOURA (PMDB)
33. JOSÉ GLADIS DE LIMA BANDEIRA – GLADIS (PRB)
34. JOSÉ LINS GUERRA – ELIEZER (PRB)
35. JOSÉ MIRAILTON DE SOUSA MENESES - MIRAILTON MENESES
36. JOSE REGINALDO SOUSA COSTA - REGINALDO COSTA (PSDB)
37. JOSÉ RENALDO ROGÉRIO MARTINS - REINALDO ROGÉRIO (PR)
38. JOSÉ VALDIR DA SILVA - VALDIR DO SUBURBÃO (PR)
39. JOSÉ VIANEZ NUNES – VIANEZ (PT)
40. JUDAS TADEU PINHEIRO GADÊLHA - TADEU PINHEIRO GADELHA (PT)
41. LEOVIGILDO ANDRADE MAIA - DR. LEÓ (PMDB)
42. LÚCIA BALTAZAR COSTA - LÚCIA BALTAZAR (PRB)
43. LÚCIA DE FÁTIMA NOGUEIRA - LÚCIA FLOR (PRTB)
44. LUCIANA MARIA MENDES HOLANDA - LUCIANA HOLANDA (PSDB)
45. LUZILENE MARIA DE VASCONCELOS LINHARES - LENE LINHARES (PSDB)
46. MANUEL TARCÍSIO PEREIRA DA SILVA - CABO TARCÍSIO (PR)
47. MARIA DO CARMO C. CAVALCANTE - MARIA DO CARMO COSTA (PSDB)
48. MARIA ELIONEIDE BEZERRA - ELIONEIDE BEZERRA (PR)
49. MARIA SANTA DA SILVA - SANTA DO BIXOPÁ (PMDB)
50. PEDRO ROBERTO NOBRE – PEDRINHO (PRTB)
51. RAFAEL EDUARDO DA SILVA - RAFAEL CAPOEIRA (PSDB)
52. RAIMUNDA NADIR CHAVES DOS SANTOS SILVA – NADIR (PT)
53. RAIMUNDO JOSE O. MOURA - RAIMUNDINHO DO MERCANTIL (PSDB)
54. RAIMUNDO NONATO SILVA - NONATO DA CIDADE ALTA (PRB)
55. RAIMUNDO REGINALDO DE OLIVEIRA - NAIM "O PIRATA" (PRTB)
56. RAIMUNDO VALDI CHAVES - RAIMUNDO VALDI (PSC)
57. ROSA RODRIGUES DE MATOS - ROSA DO CANTO GRANDE (PSDB)
58. SEBASTIÃO MAIA DE ANDRADE - SEBASTIÃO MAIA (PRB)
59. SÉRGIO MURILO DE CASTRO GOMES - SERGINHO DA GANGORRA (PRB)
60. VALVENARQUES HOLANDA G. - VALVENARQUES HOLANDA (PRTB)
61. ZEUZA MARIA FREITAS LIMA – ZEUZA (PSTU)

Limoeirenses se destacam no XXV Concurso Internacional Literário

Promovido pela Editora AG, o Concurso Internacional Literário é dividido em três categorias, sendo elas: Conto, Crônica e Poesia.
Escritores e poetas que tiverem seus trabalhos selecionados são convidados a participar da edição de um livro publicado pela editora.
Cada autor poderá participar nas categorias de Conto, Poesia e Crônica, em obras de tema livre, com até quatro trabalhos em cada categoria, ou em mais de uma categoria.
Os trabalhos deverão ser apresentados datilografados ou digitados.
Limoeirenses em destaque
Dois limoeirenses se destacaram no XXV Concurso Internacional Literário.
Maria de Lourdes Maia Gonçalves ficou com a 1ª colocação na categoria “Conto” com o trabalho intitulado de “Simplismente uma nuvem”, de quatro páginas, e deverá ter seu trabalho publicado no livro “Casa lembrada, Casa perdida”, que deve se estender pelos meses de julho e agosto de 2008.
Outro limoeirense que se destacou foi José Laureano Maia, com o trabalho intitulado de "Confluência", ficou na 5ª colocação na categoria “Poesia”.
A Editora AG convida escritores e poetas a participarem do XXVI Concurso Internacional Literário. Envie seus textos até o dia 31 de agosto, pelo site www.giraldo.org.
Os resultados serão divulgados até 1º de outubro, e os autores selecionados serão contatados para a organização da edição do livro "Travessias", cuja impressão deverá dar-se no decorrer dos meses de fevereiro ou março 2009.
Maiores informações:
Telefone: (11) 3771.2480 (falar com Luciana)
Sugestão de Postagem e Colaboração: Maria de Fátima Maia

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Limoeiro do Norte: Eleitorado apto a votar

40.611 é o número do eleitorado apto a votar em Limoeiro do Norte para as Eleições desse ano, segundo informações no site do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará.
Um aumento de 4,83% em relação às eleições de 2006, quando Limoeiro tinha 38.739 eleitores aptos.
No mesmo ano de 2006, o comparecimento dos eleitores às urnas foi de 32.236 (83,21%), enquanto a abstenção foi de 6.503 (16,79%).
*Dados computados em 01/10/2006 pelo TRE.
Já o número de habitantes de Limoeiro do Norte chega a 53.289, segundo informações do IBGE no Censo 2007.
Vejam esta reportagem do site: www.terra.com.br
CE: Cidade tem mais eleitores do que habitantes
"O município de Guaramiranga, na região serrana do maciço de Baturité, a 100 km de Fortaleza, tem chamado atenção para as próximas eleições. Segundo o último censo do IBGE, a cidade possui 4.307 moradores, mas de acordo com o cadastro de eleitores no TSE, o número de eleitores é 4.817, ou seja, 510 eleitores a mais que moradores.
Outras três cidades do interior cearense também têm praticamente o mesmo número de eleitores e moradores: Granjeiro, São João de Jaguaribe e Antonina do Norte.
Segundo o prefeito de Guaramiranga, Ilton Barrozo, a disparidade entre os registros oficiais de moradores e eleitores existem por uma falha na contagem do IBGE, que teria errado na contagem populacional de 2007. Mil e quinhentas pessoas não teriam sido contadas.
Ele afirma que a prefeitura entrou com uma ação na Justiça Federal pedindo a recontagem dos habitantes do município. O promotor eleitoral da 77ª Zona Eleitoral, Alber Castelo Branco, diz que o erro do IBGE realmente existe, e que o problema na contagem se estenderia a outros municípios da mesma região, como Palmácia e Pacoti.
Outra possibilidade para a diferença seria a migração da população natural de Guaramiranga para Fortaleza, sendo que os títulos continuariam registrados no município.
A juíza eleitoral Maria Tereza Farias Frota também desconfia que eleitores que moram na capital, Fortaleza, e mantêm os títulos em Guaramiranga com o objetivo de beneficiar algum político. A corregedoria eleitoral promete refazer um estudo sobre os eleitores da região para avaliar a possibilidade de um recadastramento."

Boi da Faceira: Mais de 60 anos de tradição

O Grupo brincante Boi da Faceira foi entrevistado no domingo, dia 13 de julho, no programa Nordeste Cabloco, da TV Diário.
Com uma história de mais de 60 anos de tradição, o grupo de Limoeiro do Norte, tem a frente o Mestre Chico e mostra a tradição do auto do boi do Vale do Jaguaribe, apresentando seu ritmo e música e história.
O trabalho do líder do Boi da Faceira, Mestre Chico, é reconhecido pelo governo do Estado do Ceará desde 2005, dentro do projeto Mestres da Cultura, que concede uma bolsa para aqueles mestres considerados portadores vivos da cultura.
O trabalho do grupo também foi objeto do vídeo documentário "Brinca Faceira", que registra através de depoimentos e imagens as manifestações do bumba-meu-boi. O vídeo foi produzido pelo Instituto Brasil de Dentro.
Mais informações sobre o vídeo podem ser obtidas pelo telefone: (88) 3423-3510.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Orkut nas eleições

A falta de fiscalização faz da internet uma ferramenta para que cabos eleitorais e fanáticos façam uma campanha suja de seus candidatos.
Leia mais:
No site de relacionamentos Orkut existe comunidades, onde seus membros debatem sobre política e eleições.
Alguns desses membros que, usando codinomes escondem seus rostos para agredir verbalmente uns aos outros e aos candidatos, fazer comparações maliciosas, divulgar informações duvidosas como pesquisas eleitorais, entre outros absurdos.
Os próprios ministros do TSE divergiram sobre o tema antes de chegar à decisão de que os casos de irregularidade de propaganda na internet serão avaliados pontualmente, nos processos que surgirem durante a eleição.
As regras da divulgação eleitoral na internet, contudo, ainda não estão esclarecidas.
A maior parte das comunidades de cunho eleitoral não é criada pela direção das campanhas, mas por eleitores dos candidatos.
Leia a reportagem do site Notícias do Vale:
Notícia Postada em 22/07/2008 - www.noticiasdovale.com
“A participação eleitoral na internet no pleito de 2008 gerou uma série de dúvidas entre especialistas e o público em geral.
Tais dúvidas foram desencadeadas pela resolução nº 22.718 aprovada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que dispõe sobre a propaganda eleitoral, "ainda que realizada pela internet ou outros meios eletrônicos de comunicação." De acordo com o capítulo 4º do texto, "A propaganda eleitoral somente será permitida na página do candidato destinada exclusivamente à campanha eleitoral." Ou seja: um candidato não pode, por exemplo, criar uma comunidade no Orkut, publicar vídeos no YouTube ou anunciar em portais informativos (...)
(...) Neste cenário, a pessoa comum que decidir publicar uma comunidade no Orkut sobre os candidatos às eleições poderá ser punida pela nova legislação eleitoral?
A princípio, quem tomou esta decisão não tem com o que se preocupar. De acordo com o advogado Ricardo Penteado, especialista em Direito Eleitoral, uma página pessoal deve ser considerada uma manifestação individual. "Qualquer pessoa pode manifestar sua opinião", lembra o especialista.
Ele ressalva, no entanto, que calúnias e ofensas a candidatos por meio da rede mundial de computadores estão sujeitas à punição pela legislação eleitoral como qualquer outra declaração em meios de comunicação.
A rede mundial de computadores promete ser campo fértil para discussões nestas eleições. Foi feita, na quarta-feira passada, uma busca com o termo "Eleições 2008" em conhecidos sites de internet.
Vejam os resultados: há 809 comunidades sobre as eleições no Orkut (o número de comunidades de candidatos pode ser maior, pois a categoria "Governo e Política" contém mais de 1000 comunidades); mais de 5,3 milhões de páginas no Google sobre o pleito e 636 vídeos postados no site Youtube.”

Ex-vereador e candidato à reeleição é preso

A população de Limoeiro foi pega de surpresa com a prisão do ex-vereador Bené. O ex-vereador é líder comunitário é benquisto na comunidade limoeirense e em especial o Bairro Luis Alves de Freitas onde mora.
Segundo a polícia a prisão se deu ontem por volta das 16h40, na rua João Lopes de Assis nº 447, bairro Luiz Alves de Freitas, Limoeiro do Norte onde foi cumprido o mandado de prisão expedido pelo Juiz de direito, titular da vara de júri da comarca de Guarulhos em São Paulo, Dr. Leandro Jorge Bittencourt Cano.
O ex-vereador e candidato à reeleição pelo Partido da República (PR) na cidade de Limoeiro do Norte Benedito Mendes Cabral (foto), 58 anos, conhecido por vereador “BENÉ”, residente à Rua Cabo Antônio Pereira da Silva, bairro Jardim Tranqüilidade nº 271, Guarulhos/SP, o mesmo reside atualmente no local onde foi cumprido o mandado de prisão, no qual foi indiciado nos autos do inquérito policial nº 308/84, na delegacia de Policia de Guarulhos/SP, instaurado por portaria, com delito praticado no dia 16/04/1984, sendo vitima João Roberto Mafort, tendo em vista que em 25/03/1991, foi decretada a prisão preventiva do acusado, com fundamento no art. 311 e 312 do CPP.
Os policiais Militares da FTA (Força Tática Operacional), na CP-1015, sob o comando do capitão Francisco Bezerra Costa Júnior, foram quem efetuaram a prisão do acusado em seguida conduziram o mesmo a DPC local para assim ser cumprida a carta precatória(mandado de prisão), oriunda do estado de São Paulo/SP, em desfavor do ex-vereador.

Divulgada a lista dos selecionados do VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte

A Secretaria de Cultura e Turismo e o Instituto Brasil de Dentro divulgam a lista dos 22 (vinte e dois) selecionados do VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte.
1. IGOR CAVALCANTE DE ARAÚJO
ACORDEON SEM LIMITES (SERRA TALHADA - PE)
2. MICHEL HIGOR LOURENÇO DA MOTA
MICHEL HIGOR (FORTALEZA - CE)
3. FRANCISCO BRAGA RABELO
CHIQUINHO DO ACORDEON (MORADA NOVA - CE)
4. JEANICE DE SOUSA CÂNDIDO
NICINHA DO ACORDEON (SOBRAL-CE)
5. FRANCISCO DAS CHAGAS AMARAL DIAS
GENIVAL MAGIA (NOVA RUSSAS - CE)
6. CRISTALINO BRANDÃO FILHO
CRISTALINO BRANDÃO (LIMOEIRO DO NORTE - CE)
7. ADRIANO JOSÉ DA SILVA
ADRIANO PONTES (CABO DE SANTI AUGUSTI – PE)
8. JOSÉ WILSON MACHADO AGUIAR
WILSON AGUIAR (FORTALEZA - CE)
9. LUIZ FÉLIX DA SILVA
LUIZ FÉLIX (LIMOEIRO DO NORTE - CE)
10. GERSON JUCIER CAMPOS
GERSON (SÃO JOÃO DO JAGUARIBE – CE)
11. CARLOS PEREIRA NOGUEIRA
BARRÃO (FORTALEZA – CE)
12. RAIMUNDO JOSÉ FREIRE
RAIMUNDINHO ACORDEON (MORADA NOVA -CE)
13. JOSÉ FERREIRA MAIA
ZÉ WILSON (LIMOEIRO DO NORTE – CE)
14. DANIEL FELIPE RODRIGUES DE SOUSA
DANIEL (PALHANO – CE)
15. EDMAR FERNANDES BRITO
EDMAR (QUIXERÉ – CE)
16. RAIMUNDO DEUZEIRTON DE OLIVEIRA
DEUZEIRTON (LIMOEIRO DO NORTE – CE)
17. GIULIAN MONTE HENRIQUE
GIULIAN MONTE (CURRAIS NOVOS – RN)
18. MANOEL LEITE CAVALCANTE NETO
NETINHO DE CUSTÓDIA (CUSTÓDIA - PE)
19. ANTÔNIO OCIVÂNIO C. MOURA
OCIVÂNIO (MARANGUAPE – CE)
20. JOÃO BANDEIRA JR.
JOÃO BANDEIRA JR. (LIMOEIRO DO NORTE – CE)
21. JAIR DANTAS MEDEIROS
JAIR DANTAS (AQUIRÁZ – CE)
22. JOSÉ FRANCELINO ALVES
ZEZINHO MARIANO (PACAJUS - CE)
ELIMINATÓRIAS
Após esta seleção, a fase das eliminatórias é composta de apresentações públicas, sorteando-se 11 (onze) concorrentes que se apresentarão na noite de 24 de Julho/08, e 11 (onze) na noite de 25 de Julho/08, também definindo-se por sorteio a seqüência das apresentações, que acontecerão no palco da Praça José Osterne, do Largo da Catedral de Limoeiro, a partir das 20hs.
Cada concorrente apresentará 02 (duas) músicas, sendo 01 (uma) dentre as 40 (quarenta) da lista do VII Festival e 01 (uma) de livre escolha, não devendo a sua apresentação ultrapassar o total de 12 (doze) minutos, entre preparação, apresentação e saída do palco, sob pena de desclassificação.
Os concorrentes poderão se apresentar individualmente ou acompanhados de no máximo 03 (três) instrumentos, acústicos e/ou de percussão, sendo vedado o uso de bateria, contra baixo elétrico, guitarra, sintetizadores e acompanhamentos eletrônicos, que possam vir a prejudicar a ênfase ou ofuscar o som do instrumento em julgamento. Deverão encaminhar, antecipadamente, à organização, os títulos das 02 (duas) músicas, seus autores, nomes dos músicos acompanhantes e seus devidos instrumentos.
Os concorrentes deverão apresentar-se à Comissão Organizadora 30 (trinta) minutos antes do horário de passagem de som determinado pela organização, e 30 (trinta) minutos antes do início da apresentação, independentemente de sua ordem de entrada.
O Júri será composto de 05 (cinco) integrantes escolhidos pela organização do Festival dentre personalidades renomadas da atividade musical e julgarão as 22 apresentações das duas noites com pontuação de 01 a 10. Os 22 (Vinte e dois) concorrentes selecionados, assim, concorrerão entre si, reunindo-se o júri, ao final das duas apresentações para seleção de 08 (oito) finalistas.
FASE FINAL
Na fase final, os 08 (oito) concorrentes deverão apresentar 02 (duas) músicas, no tempo máximo permitido de 12 (doze) minutos, sob pena de desclassificação. Novamente, das 02 (duas) músicas, 01 (uma) deverá fazer parte da lista do VII Festival, e outra, de livre escolha; sendo que pelo menos 01 (uma) delas não tenha sido executada na fase anterior. Dessa forma, ao longo do concurso, os finalistas terão apresentado no mínimo 03 (três) músicas diferentes, o que permitirá ao Júri melhor avaliação do potencial do concorrente.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte

Apresentações de selecionados e shows de Renato Borghetti, da alemã Cathrin Pfeifer, entre outros, marcam a programação.
Há 40 anos a cidade cearense de Limoeiro do Norte, na região do Baixo Jaguaribe, realizava pela primeira vez um festival que representa a vocação de sua população para a música, em especial, para o acordeão - ou sanfona, em uma linguagem mais popular. Era o I Festival de Sanfoneiros, idealizado pelo radialista Luiz Gonzaga de Freitas e concretizado pela Rádio Educadora.
O ano era 1968 e até 1972 o evento aconteceu anualmente, transformando o município, nos dias de festival, no maior palco de sanfoneiros do país. Em 2007 o Festival, que esteve adormecido por 35 anos, foi reativado como merecia: uma grande festa da sanfona, com participantes do Ceará e de vários cantos do Nordeste.
De 23 a 26 de julho de 2008, 40 anos depois de seu início, o Festival realiza sua sétima edição, estimulando a busca de melhor qualidade estética sonora na execução da sanfona e mostrando, a músicos e público em geral, as largas possibilidades de um instrumento tocado por grande parte dos povos do mundo. Além do apelativo forró comercial, é possível tirar desse instrumento a excelência da música, seja na valsa mais tradicional, no jazz, no tango, no forró pé-de-serra, no sertanejo ou no mais requintado chorinho.
Pela sua importância e reconhecida expressividade, o VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte foi um dos 24 projetos de todo o país, entre 260 inscritos, contemplados pelo 1º Edital Petrobras de Festivais de Música. Além da Petrobras, esta edição do festival tem patrocínio da Coelce, BNB e Sebrae-CE, numa realização do Instituto Brasil de Dentro e da Secretaria de Cultura de Limoeiro do Norte.

A 7ª EDIÇÃO DO FESTIVAL
Apresentações de sanfoneiros selecionados e shows de instrumentistas convidados compõem a programação do 7º Festival, que terá ainda oficina de harmonia e aulas-espetáculos. Na noite de abertura, quarta-feira, 23, em comemoração aos 40 Anos da 1ª edição do Festival de Sanfoneiros, será relançado o livro “45 Anos de Rádio no Vale do Jaguaribe”, do radialista Luiz Gonzaga de Freitas. Além disso, também na solenidade de abertura, haverá a entrega de 40 troféus aos principais incentivadores do festival, desde seu início.
Um total de 22 sanfoneiros do país participam do festival e concorrem a 20 mil reais em prêmios, sendo 10 mil para o primeiro lugar; 5 mil para o segundo; 3 mil para o terceiro e 2 mil para o quarto colocado. As apresentações acontecem de quinta a sábado à noite, seguidas de shows dos instrumentistas convidados. Na quinta-feira (24): Cathrin Pfeifer (Alemanha) com o guitarrista Jabuti (Brasil) e Ítalo e Renno (CE). Na sexta-feira (25): Adelson Viana (CE) e Amazan (RN). Na noite de encerramento, sexta-feira (26): Luizinho Calixto (PB), Renato Borghetti (RS) e João Bandeira (CE).
Durante o dia, de quinta a sábado pela manhã, o professor e arranjador Tarcisio Lima ministra Oficina de Harmonia. À tarde, também de quinta a sábado, os instrumentistas convidados Amazan, Adelson Viana, Luizinho Calixto participam da "Conversa de Sanfoneiro" com aula-espetáculo.
AS ATRAÇÕES
Cathrin Pfeifer (Alemanha) com o guitarrista Jabuti (Brasil).
A acordeonista vem da Alemanha, um dos primeiros países a adotar a sanfona. Seu trabalho com músicos de diferentes origens culturais e suas referências em diferentes estilos musicais como folk, rock, avantgarde, clássico, etc. influenciam poderosamente seu estilo. Em suas composições descobre-se uma cosmopolita cheia de vida, poesia, aberta a surpresas estilísticas. A instrumentista desenvolve trabalho musical junto ao guitarrista piauiense/cearense Gilberto Fonteles, o Jabuti, há mais de 10 anos radicado na Alemanha. Eles se conhecem durante a primeira visita de Jabuti a Berlim, em 1993. Mas nunca haviam trabalhado juntos, até o início de 2008. Durante uma apresentação de Jabuti e o percussionista Abra Dutra, os músicos convidaram Cathrin, que estava com seu instrumento, para subir ao palco. Daí nasceu a idéia de fazerem algo juntos. Esta é a segunda vez que ela vem ao Brasil. Há 12 anos esteve no Ceará e apresentou-se com Eugênio Leandro e Manassés.
Ítalo e Renno (CE)
Os jovens multi-instrumentistas cearenses são dois legítimos representantes da nova geração de músicos que tecem um novo painel para a arte musical do Brasil. Marcante pela presença de dois acordeons no palco, a dupla inova o conceito tradicional da utilização do instrumento pela exploração de infinitas possibilidades sonoras. Através da interpretação e da improvisação, os músicos usam seu singular talento para desmistificar o uso do acordeon, levando-o para as searas do jazz, frevo, chorinho, samba, tango, baião, forró e música erudita. A vitalidade das raízes sonoras brasileiras, sua profundidade e a riqueza de atmosferas são exploradas no repertório da dupla. Nele figuram composições autorais e releituras de clássicos da música instrumental e popular brasileira. Como resultado, arranjos inusitados que dão ares de contemporaneidade a grandes sucessos, imprimindo suas marcantes personalidades musicais.
Adelson Viana (CE)
É acordeonista, tecladista, compositor, arranjador e produtor musical. Ao lado de Raimundo Fagner atua como instrumentista e diretor musical. Já se apresentou também com Zeca Baleiro, Dominguinhos, Lenine, Naná Vasconcelos, Paulo Moura, Fausto Nilo, Kátia Freitas, Manassés, dentre outros. Em 2004 esteve na França (Brest 2004) onde participou de shows no Espaço Brasil, levando a música brasileira a um grande público presente. Recentemente lançou o álbum Acordeom Brasileiro, onde mostra um rico repertório com composições do mestre e amigo Dominguinhos, Raimundo Fagner, João Lyra, Zivaldo Maia, Adriano Giffoni, José Viana e Adelson Viana. O show de Adelson Viana tem um caráter acústico e passeia pela sonoridade brasileira através do choro, do xote, do baião e até mesmo do frevo, favorecendo a riqueza de timbres e de possibilidades da sanfona nordestina universal.
Amazan (PB/RN)
Amazan nasceu em Campina Grande, em 1963 e foi criado em Jardim do Seridó, interior do Rio Grande do Norte, onde desde criança já apreciava a poesia e a boa música nordestina. Ainda no início da adolescência dava os primeiros acordes na sanfona. Em Jardim do Seridó viveu até os 19 anos, quando voltou para Campina Grande. Em 19 anos de carreira profissional solo, O Sanfoneiro Nordestino, Amazan lançou 24 discos, sendo seis em vinil e 18 em CD. Os mais novos trabalhos são o CD e DVD ao vivo "Amazan em Jardim", de 2008. Nos shows, com desenvoltura e presença de palco, caminha pelos acordes do forró, xote e baião, declama e canta poesias de sua autoria ou de renomados cantadores que têm as suas canções revestidas pela genialidade de quem em versos, às vezes divertidos, às vezes polêmicos, outras vezes românticos, arranca gargalhadas, desperta reflexões, provoca paixões, provando o seu dom de poeta.
Luizinho Calixto (PB/CE)
Residente em Fortaleza, Luizinho Calixto nasceu em Campina Grande, na Paraíba. Destacou-se com sua sanfona de oito baixos, instrumento que toca desde os 10 anos de idade e faz seu passeio musical no ritmo do tango, bolero, valsa e bossa nova, além do xote, forró, frevo, samba, baião e chorinho. Tem 11 discos gravados e já mostrou sua música pela Europa (Portugal, Espanha e França) e na Argentina. Seus mais recentes trabalhos são “Só alegria” e “A discoteca do Calixto” (instrumental). Além dos oito baixos, Luizinho toca também acordeom de 120 baixos, instrumentos de corda e percussão. Em seus shows, é acompanhado por sanfona, violão, cavaquinho, pandeiro e triângulo, ou por uma banda composta por sanfona, guitarra, contra-baixo, bateria, zabumba, triângulo e cavaco.
Renato Borghetti (RS)
Aos 16 anos subia profissionalmente a um palco pela primeira vez. O palco era de um dos tantos festivais nativistas que efervesciam no Rio Grande do Sul dos anos 80. Tocava como um possuído, o que causava ainda maior impressão em quem conhecia as imensas limitações do seu instrumento, a gaita-ponto. Alternou trabalhos mais simples e gauchescos com momentos de maior sofisticação e acenos para o jazz e a música erudita. Ganhou diversos prêmios e fez shows de Norte a Sul do Brasil, além de Estados Unidos e países da Europa, chegando a gravar e lançar por lá discos seus.
LIMOEIRO DO NORTE
Conhecida como “Princesa do Vale”, Limoeiro do Norte, situada entre dois grandes rios do Ceará, Jaguaribe e Banabuiú, é conhecida como uma das cidades que mais abastece o segmento de bandas, com inúmeros compositores e cantores em destaque, poetas, cantadores, brincantes do folguedo popular e, principalmente, sanfoneiros. Da região do Vale do Jaguaribe vieram nomes como Maurício Maestro, baixista do grupo Boca Livre, de Aracati; Dom e Ravel, sucesso na década de 70, de Itaiçaba, Maestro Cleóbulo Maia, Odílio Silva; Ednir Maia, autor de Coração Velho, responsável pela última revolução no mercado do forró no Nordeste. Ainda, Paulo Ney, os irmãos Carlito e João Bandeira, Redondo, Rita de Cássia, Eugênio Leandro, Sávio Leão, Acauã, Assis Filho, e tantos outros.
PROGRAMAÇÃO
Dia 23/07 (quarta)
NOITE – Às 20h no Auditório do NIT:
Solenidade de Abertura com relançamento do livro “45 Anos de Rádio no Vale do Jaguaribe”, do radialista Luiz Gonzaga de Freitas; entrega de troféus-homenagens.
Dia 24/07 (quinta)
MANHÃ - Das 08 às 11h no NIT:
Oficina de Harmonia com o professor e arranjador Tarcísio José de Lima.
TARDE - Das 16 às 17h no Auditório do NIT:
Conversa de Sanfoneiro – Aula-Espetáculo com o sanfoneiro Amazan (RN).
NOITE - A partir das 20h na Praça José Osterne:
Apresentação de concorrentes da primeira eliminatória; show da sanfoneira Cathrin Pfeifer (Alemanha) com o guitarrista Jabuti (Brasil); show dos sanfoneiros Ítalo e Renno (CE).
Dia 25/07 (sexta)
MANHÃ - Das 08 às 11h na Praça da Coluna da Hora: Palco aberto.
MANHÃ - Das 08 às 11h no Auditório do NIT:
Oficina de Harmonia com o professor e arranjador Tarcísio Lima.
TARDE - Das 16 às 18h no Auditório do NIT:
Conversa de Sanfoneiro – Aula-Espetáculo com o sanfoneiro Adelson Viana (CE).
NOITE - A partir das 20h na Praça José Osterne:
Apresentação de concorrentes da segunda eliminatória; show de Adelson Viana (CE) e Amazan (RN).
Dia 26/07 (sábado)
MANHÃ – Das 08 às 11h na Praça da Coluna da Hora: Palco Aberto.
MANHÃ – Das 08 às 11h no Auditório do NIT:
Oficina de Harmonia com o professor e arranjador Tarcísio Lima.
TARDE - Das 16 às 18h no Auditório do NIT:
Conversa de Sanfoneiro – Luizinho Calixto e os 08 Baixos.
NOITE - A partir das 20h na Praça José Osterne:
Final do Festival com apresentação dos oito selecionados; apresentação dos vencedores; Entrega de troféus-homenagens; shows: Luizinho Calixto; Renato Borghetti; João Bandeira e Amigos.
* NIT: Núcleo de Informação Tecnológica, Largo da Catedral.
SERVIÇO
VII Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte – De 23 a 26 de julho no Núcleo de Informação Tecnológica (Largo da Catedral) e na Praça José Osterne.
Informações GRÁTIS.
Secretaria de Cultura de Limoeiro do Norte: (88) 3423.1965
Instituto Brasil de Dentro, de Limoeiro do Norte: (88) 3423.3510
COMO CHEGAR
O acesso a Limoeiro do Norte pode ser feito pela BR-116 para quem segue do Norte (Fortaleza), Oeste (São João do Jaguaribe e Morada Nova) ou Sul (Alto Jaguaribe, Cariri, outros estados). O acesso a Leste (Quixeré e Rio Grande do Norte) é pela rodovia CE-377.
Ônibus: Fortaleza / Limoeiro
Horários: 6:30h / 8:30h / 13:00h / 16:40h / 18:00h
Rápido Limoeiro – (85) 3256.8837 / (88) 3423.1477

Limoeiro 1x2 Maranguape

Neste domingo (20/07), o Limoeiro Futebol Clube, jogando em casa, amargou mais uma derrota para o Maranguape.
Logo no primeiro tempo o time visitante fez 2x0. Na volta para o segundo tempo, depois de algumas modificações, a equipe do Limoeiro precionou até conseguir um gol, após uma cobrança de escanteio (ver lance do gol do Limoeiro), mas foi só. Destaque para o lateral direito do Limoeiro, Givanildo, que foi o melhor homem em campo.
Com os empates entre Trairiense 2x2 Barbalha e Itapajé 0x0 Maracanã, o Limoeiro ficou a 4 pontos do Barbalha e do Itapajé, que somam 13 pontos cada.
A situação do Limoeiro Futebol Clube ficou um pouco mais complicada, tendo que vencer os dois próximos jogos, e torcer para que o Barbalha e o Itapajé percam.
Arbitragem
Assim como os clubes, a arbitragem da Segunda Divisão do Campeonato Cearense deixa muito a desejar. A equipe do Limoeiro foi prejudicada pela não marcação de um pênalti, além da omissão da arbitragem para com as jogadas violentas por parte das duas equipes. A arbitragem ficou por conta de Paulo Sílvio, com Armando Lopes e Djalma Silva como auxiliares.

Eleições: Disputa chega até ao mundo virtual

A campanha política invadiu o ciberespaço, servindo para abrigar o palanque eletrônico de políticos deste século XXI. No Brasil, a exploração das mídias eletrônicas no campo eleitoral, a Internet, por exemplo, é recente, como afirma Rodrigo Lima, diretor executivo da W7 Solutions e web designer. Seu trabalho em campanhas políticas inclui também a criação de sites, embora trabalhe com outras mídias também. O preço de um site simples varia entre R$ 6 e R$ 7 mil. Os mais sofisticados, incluindo o serviço de intranet, podem variar de R$ 10 mil a R$ 15 mil.
O uso das novas tecnologias como ferramentas essenciais de comunicação entre candidatos e eleitores é reconhecido pela Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por isso, são passíveis l também de regras. Está vedada, por exemplo, a criação de comunidades em sites de relacionamentos, assim como blogs. O TSE promete analisar caso a caso para punir abusos.
Rodrigo Lima conta que, desde a campanha de 2006, a mídia eletrônica estava sendo utilizada, mas de forma acanhada. Agora, com as prévias das eleições dos Estados Unidos, ela se consolidou mais. ´As pessoas começam a perceber que é um meio de comunicação acessível´, explica. Os candidatos, aos poucos, estão se rendendo a esta novidade, que agrada, principalmente os jovens.
Segundo Rodrigo Lima, 50% dos acessos são feitos por eleitores entre 17 a 25 anos. Outra vantagem desta mídia é quanto ao tempo. "As pessoas podem acessar no trabalho, no intervalo do almoço, ou quando chegam em casa a qualquer hora", diz, justificando que 95% das empresas possuem Internet.
Mesmo as pessoas não possuindo Internet em casa, já virou costume o acesso aos sites de relacionamentos, onde criam comunidades. Elas acessam em lan houses.
O site inclui informações básicas sobre o candidato, sua agenda diária, um espaço destinado à comunicação com o eleitor. Alguns, podem ousar e criar chats para uma conversa direta com o eleitor. Rodrigo Lima afirma que, até o momento, sua empresa registrou aumento de 25% na procura de serviços. "A nossa expectativa é aumentar em 60% ", projeta.
Relativamente baratos
Embora o que predomine seja a procura pela mídia tradicional, aos poucos, os sites ganham espaço entre os candidatos. "Eles são relativamente baratos", observa. Os sites devem usar o domínio can.br, devem sair do ar 24 horas antes das eleições.

sábado, 19 de julho de 2008

Veja como será o novo modelo de carteira de identidade no país

Novidade ainda depende de aprovação para entrar em vigor a partir de 2009. Novo modelo reúne informações pessoais, número de CPF e de título de eleitor. (clique nas imagens para ampliar)
A nova carteira de identificação, apresentada pelo Ministério da Justiça (MJ) e pela Polícia Federal (PF) na terça-feira (8), ainda depende da aprovação de um decreto para entrar em vigor a partir de 2009. O RIC (Registro de Identidade Civil) não será obrigatório.
Segundo a PF, o novo documento tem modernos itens de segurança, como fundos complexos, tintas e efeitos ópticos especiais, além de chip que armanezará dados dos cidadãos.
O RIC foi instituído pela Lei 9454/1997. A proposta é unificar o cadastro de identificação estaduais e federal. O Instituto Nacional de Identificação (INI) será comunicado de todo e qualquer registro de indivíduo. Assim que for implementado o RIC, a previsão é de que os 4.375 postos de identificação sejam equipados. Isso vai permitir o cadastro de 20 mil pessoas por dia.
A partir do terceiro ano do projeto, 80 mil pessoas poderão ser cadastradas a cada dia, com meta de 20 milhões por ano. Ao longo de nove anos serão cadastradas 150 milhões de pessoas.
Os estados vão passar a identificar as pessoas com foto digital e impressões digitais tiradas na hora. O Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais (AFIS) foi comprado em 2004 e custou cerca de US$ 35 milhões.

Limoeiro na briga contra o rebaixamento

Para qual Santo temos que rezar para que o Limoeiro Futebol Clube escape, mesmo fedendo, do rebaixamento para 3ª Divisão do cearense?
Quem não sabe rezar, que cuide em aprender...
E não importa o Santo...

A situação do Limoeiro Futebol Clube é bem complicada nessa reta final da Segundona do Cearense 2008. Faltando apenas 3 rodadas, o Limoeiro é um sério candidato a ser rebaixado para 3ª Divisão do Cearense e briga diretamente contra o Barbalha e o Itapajé. Desses três times, apenas um permanece na Segundona.

Com apenas 9 pontos ganhos o Limoeiro amarga a lanterna do campeonato, e joga domingo, 20/07, às 16:00hs, contra o Maranguape, no estádio Bandeirão. Dos 3 jogos restantes este é o único em casa.

Quinta-feira, dia 24/07, às 20:00hs, no estádio Lírio Callou, vem o jogo chave contra o Barbalha. Para não ser rebaixado, o Limoeiro tem que, de toda forma, ganhar o jogo contra o Barbalha e torcer por tropeço do mesmo, além de facilitar as coisas conseguindo bons resultados nos outros jogos.

E na última rodada, domingo 27/07, às 15:30hs, o Limoeiro enfrenta o Crato, que ainda tem chances de subir para primeira divisão, no estádio Mirandão.

Jogos Anteriores

07/06 - Maranguape 1x1 Limoeiro

13/05 - Limoeiro 2x1 Barbalha

14/06 - Limoeiro 0x4 Crato

Adversários

Barbalha

O Barbalha com 12 pontos, joga fora de casa, dia 20/07, contra o Trairiense que está em segundo na tabela, apenas 1 ponto atrás do líder Maracanã. Depois vem o confronto direto com o Limoeiro, no estádio Lírio Callou. E na última rodada, pega o Tiradentes no estádio Elzir Cabral.

Itapajé

Já o Itapajé, também com 12 pontos, tem apenas dois jogos pela frente. Domingo, 20/07, joga em casa contra o Maracanã, que tenta manter a ponta da tabela, e dia 27 vai a cidade São Benedito enfrentar o time local que, com 20 pontos, não corre o risco de ser rebaixado.

Participe da nossa enquete:

O que mais falta para Limoeiro manter um bom time?

Campeonato Cearense da 2ª Divisão - 1994

Após realizar o seu último campeonato de acesso no ano de 1970, a Federação Cearense de Futebol resolveu voltar às disputas da 2ª Divisão em 1994.
Foram inscritas oito equipes de todo o interior do estado e ao final, o grande campeão foi o ESPORTE CLUBE LIMOEIRO de Limoeiro do Norte, fundado em 01 de novembro de 1942, com as cores azul e branco como oficiais, tendo como mascote o "Cavalo de Aço".
Os participantes deste campeonato de acesso foram os seguintes:
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA NOVO PALMEIRAS – Pacajus
ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA CEARAZINHO – Paracuru
CENTRO ESPORTIVO UBAJARENSE – Ubajara
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO - Limoeiro do Norte
ESPORTE CLUBE VASCO DA GAMA – Iguatu
MAGUARI ESPORTE CLUBE – Capistrano
SOCIEDADE ESPORTIVA UNIÃO – Russas
URUBURETAMA FUTEBOL CLUBE – Uruburetama
Campanha da equipe limoeirense até a conquista do título:
01.05.1994
NOVO PALMEIRAS 2x6 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Pacajus
08.05.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 6x2 VASCO DA GAMA, em Limoeiro do Norte
15.05.1994
UNIÃO 2x0 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Russas
22.05.1994
VASCO DA GAMA 1x2 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Iguatu
29.05.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 5x2 NOVO PALMEIRAS, em Limoeiro do Norte
05.06.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 4x2 UNIÃO, em Limoeiro do Norte
26.06.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 2x0 NOVO PALMEIRAS, em Limoeiro do Norte
10.07.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 3x0 CEARAZINHO, em Limoeiro do Norte
24.07.1994
URUBURETAMA 2x1 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Uruburetama
31.07.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 1x1 VASCO DA GAMA, em Limoeiro do Norte
07.08.1994
NOVO PALMEIRAS 0x4 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Pacajus
21.08.1994
CEARAZINHO 0x0 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Paracuru
28.08.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 2x1 URUBURETAMA, em Limoeiro do Norte
06.09.1994
VASCO DA GAMA 1x1 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Iguatu
11.09.1994
URUBURETAMA 3x4 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Uruburetama
18.09.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 0x0 URUBURETAMA, em Limoeiro do Norte
24.09.1994
ESPORTE CLUBE LIMOEIRO 0x0 URUBURETAMA, em Limoeiro do Norte
01.10.1994
URUBURETAMA 1x1 ESPORTE CLUBE LIMOEIRO, em Limoeiro do Norte.
*A equipe limoeirense venceu nos pênaltis por 5 x 4.
Fonte: Blog História do Futebol