segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Denúncias movimentam campanha eleitoral em Limoeiro do Norte

A Justiça Eleitoral diz que pelo menos 20 casos já foram relatados. O método preferido para a corrupção eleitoral é pagar os fiados dos eleitores em mercearias da cidade.
No país da urna eletrônica e do avanço da conscientização política, uma das práticas de corrupção eleitoral mais antigas ainda persiste na região do Vale do Jaguaribe, no Interior do Ceará.
Mais precisamente no município de Limoeiro do Norte, a 160 km de Fortaleza, denúncias de compra de voto é um dos principais assuntos nas rodas de conversas nos comitês, tanto entre cabos eleitorais quanto entre eleitores comuns da cidade.
Na última semana, O POVO ouviu relatos de gente que garante já ter testemunhado candidatos a prefeito e vereador tentando seduzir a consciência eleitoral com oferta em dinheiro, de forma direta ou indireta. O assunto corre generalizado nas esquinas, ruas e praças, e a própria Justiça Eleitoral admite já ter contabilizado pelo menos 20 casos nas eleições de 2008.
De acordo com um cabo eleitoral de um dos quatro comitês eleitorais de candidatos à Prefeitura de Limoeiro, que falou sobre a condição de ter sua identidade preservada, o método preferido pelos agentes do crime eleitoral é o seguinte: um emissário da candidatura vai a mercearias da cidade que aceita vender a crédito para moradores do lugar - o conhecido caderninho de fiado - e quita a lista de débitos.
O segundo passo é levantar o máximo de informações dos que estavam dependurados no comércio - dados como nome ou apelido, quanto foi a conta e, o mais importante: saber onde o beneficiado mora. O terceiro ponto é procurar o ex-endividado e informar-lhe que a conta foi paga e entregar algum tipo de material de campanha.
Outras duas maneiras de tentar comprar votos são admitidas em Limoeiro. Um delas acontece altas horas da noite. Com dinheiro em espécie ou com vale-compra - geralmente, material de construção -, enviados dos comitês andam de porta em porta, na zona rural, assediando o eleitorado.
A segunda maneira é mais sofisticada e é também a menos citada entre os abordados pelo O POVO. Candidatos que estão com dificuldade em determinadas localidades fazem promessa em dinheiro para que o eleitor não compareça à urna. Negócio fechado, o Título de Eleitor é retido pelo emissário. O valor para cada tipo de abordagem varia, não sendo menos do que R$ 50,00.
"Nós estamos cientes de que isso está acontecendo, onde está acontecendo e como está acontecendo", admitiu a juíza da 29ª Zona Eleitoral, de Limoeiro do Norte, Luciana Teixeira Souza, durante uma reunião com candidatos a prefeito e vereador do Município. "Nós sabemos que isso acontece de maneira escancarada", assegurou.
Diante de tantas denúncias de tentativas de compra de voto, a magistrada deu um ultimato, para que isso deixasse de acontecer em Limoeiro. Ela advertiu sobre os riscos do delito - multa, prisão e perda de mandato -, e antecipou que uma equipe da Polícia Federal é esperada no Município, para inibir esse tipo de corrupção eleitoral.
Ao O POVO, a juíza Luciana Souza confirmou que já existem denúncias protocoladas sobre compra de votos. A magistrada destaca, porém, que o horário em que os delitos são cometidos - geralmente, depois das 19 horas, quando o fórum já fechou - e a estrutura insuficiente de que dispõe acabam inibindo o poder de fiscalização.
A convocação para o sermão jurídico da juíza Luciana acabou colocando, no mesmo pequeno auditório, os dois candidatos que polarizam a disputa pela Prefeitura: o atual prefeito e candidato à reeleição, João Dilmar (PRB), e o ex-deputado estadual Paulo Duarte (PSDB).
ACUSAÇÕES
Separado do prefeito-candidato por apenas algumas filas de cadeira, o tucano fez pesadas críticas a Dilmar, acusando-o de ser o principal responsável pelas tentativas de compra de voto na cidade. "Estão levando dinheiro na liga", disse ele, para em seguida dizer que material de construção é o segundo item mais utilizado nesse tipo de transação. "As caçambas despejam areia quase nos pés da gente".
Assim como o tucano, pelo menos oito candidatos a vereador de coligações variadas denunciaram casos de corrupção eleitoral. A maioria tinha o atual prefeito e aliados dele como alvo.
Paulo Duarte também afirmou que a Prefeitura de Limoeiro está admitindo e demitindo comissionados na gestão municipal, com base em interesses eleitorais. "É fácil de constatar. É só pedir a folha de janeiro para cá", sugeriu. "Nos custa muito perder para a corrupção", lamentou.
"Aqui não tem nenhum santo e nenhum inocente", afirmou, em auto-defesa, o prefeito João Dilmar, dando a entender que, se existia, a prática era adotada por todos os candidatos na sala. Para o prefeito, não existe solidez nas denúncias, já que dificilmente são registradas.
"O Paulo Duarte é delegado (aposentado) de Polícia Federal e sabe como conduzir isso. Porque ele não denuncia no papel?", questionou João Dilmar. O prefeito também desafiou os presentes a encontrarem irregularidades na folha de pagamento, afirmando que o documento está disponível na Prefeitura.
E MAIS
- Candidato a vice-prefeito, o estudante de Pedagogia Reginaldo Araújo (PSTU), aproveitou o aglomerado de pessoas na sede da Justiça Eleitoral para vender cartelas de bingo. O ganhador receberá um carro Chevrolet Celta Life 1.0.
- Argumentando tratar-se de necessidade de financiamento de atividades pró-movimentos sociais - segundo ele, o dinheiro não será usado na campanha -, Reginaldo conseguiu uma façanha: vendeu uma cartela para a própria juíza, Luciana Teixeira, e para o adversário, Paulo Duarte (PSDB).
- Dos três candidatos que O POVO entrevistou, o mais arredio era a ex-prefeita Arivan Lucena (PR). A princípio, ela não quis conversa. Depois de muita negociação, deu algumas respostas, sempre monitorada por um assessor.
Fonte: O Povo / Foto: Alex Costa
Leia mais:

5 comentários:

Anônimo disse...

Estao querendo comprar a conciencias das pessoas pobres com dinheiro isso é crime e quem faz crime n tem o direito de ser representante de uma cidade.
aqui deixo meu recado com tristesa por exister gente desse tipo ao nosso redor.

Anônimo disse...

Não dá pra entender o quanto alguém consegue ser tão volúvel, como o Sr. Paulo Duarte. Como alguém usa a própria imagem para apoiar um candidato nas eleições passadas e, agora, simplesmente resolve acusá-lo violentamente, esquecendo todas as palavras proferidas ha 4 anos atrás? Será que a gestão do atual prefeito não foi tão "interessante" na concepção do Sr. Paulo Duarte e de TODA a sua família? Curioso. Espero que Limoeiro escolha o que for melhor pra cidade. Mas fico imaginando se o candidato Paulo for realmente eleito como mostram as pesquisas. Com tanta inconstância em um candidato só, não é de se duvidar que suas propostas acabem passando por mudanças, como o próprio candidato tem passado ao longo desses 4 anos. Cuidado Limoeiro! Se as mudanças forem positivas, melhor pra cidade! Mas se forem negativas... Aí não tem mais jeito. Pense bem! É como o velho ditado: Em time que se ganha não se mexe. Não permitam que mais uma vez a confiança do povo de Limoeiro seja traída como ha 8 anos atrás. E quanto as acusações feitas ao prefeito, procurem a prefeitura, procurem o próprio prefeito que, disponibilizou todas as contas da prefeitura para quem se interessar. É fácil saber a verdade. Só não consegue enxergar, quem não quer. Um grande abraço a todos e sejam felizes.

Alex disse...

Quando idealizei esse blog, um dos principais intuitos era de que esse espaço fosse, literalmente, DEMOCRÁTICO.

Com a chegada da campanha eleitoral me preocupei, principalmente, com os comentários postados pelos visitantes.

Não quero e não irei censurar nenhum comentário aqui postado, mas peço a quem vier comentar que respondam pelo que dizem assinando os comentários, não vindo a prejudicar esse espaço.

Crente na compreensão de todos, gostaria de agredecer pela visita e que continuem acessando nosso blog, e comentando a vontade, desde que, com responsabilidade e bom senso.

Obrigado.

Anônimo disse...

EH !!REALMENTE NÃO DA PRA ENTENDER COMO JOAO DILMAR DEPOIS DE SER APOIADO TANTO TEMPO POR PAULO DUARTE O APUNHA-LA PELAS COSTA ASSIM ÊTA MUNDIÇA...

Ticiana Pinheiro disse...

Essa alinça que existiu durante tantos anos, entre Joao Dilmar e Paulo Duarte, será que realmente houve uma traiçao por parte do nosso glorioso prefeito Joao Dilmar da Silva, que até a gestao passada teria como sua vice-prefeita, a irma do tao ferroz atual opositor Paulo Duarte? Se fossemos redigir uma carta contando de traiçoes, desenganos, mentiras e principalmente compra de votos, em todos esses anos de democracia, em nossa querida cidade Limoeiro do Norte, nos falteriam palavras, para descrever tanta sujera que existiria redatada em esta carta. Caberia perguntar ao senhor Paulo Duarte, se ao acostarsse para dormir, relaxar, ou tao somente pensar em suas acusaçoes infundadas, sua conciencia plasmaria de tranquilidade, segurança e etica, acima de tudo, por ter feito "UMA CAMPANHA TAO LIMPA, SEM A EXISTENCIA DE COMPRA DE VOTOS POR SEUS CABOS ELEITORAIS OU PELO MESMO, SEM MENTIRAS, AMEAÇAS?" Deixo tao somente a interrogaçao, de que tipo de campanha, esse senhor que hoje alega ser tao cheios de "principios" e aos seus seguidores, como chegou a estar onde esta nos dias de hoje, quem o seguiu até essa data, e será que nao existiu nenhuma compra de voto pelo seu lado senhor Paulo Duarte ou em sua historia de politico, ou politiqueiro, demagogo, cabe saber que adjetivo é melhor empregado a sua pessoa?
Aqui deixo o meu apoio ao atual prefeito Joao Dilmar, que muito já fez por Limoeiro e pretende fazer mais e ao meu pai Raimundo Nonato Pinheiro, que sendo sua filha primogenita, tenho o orgulho em dizer o grande homem que é, com seus principios, eticas e principàlmente sua luta por um Limoeiro do Norte melhor. Muito obrigada aos cidadaos limoeirenses, que acreditaram e acreditam em esses dois grandes homens!!